-->


 

Nacional - 02/09/2008 - 06:56:08

 

PF abre inquérito e nega fazer grampos ilegais

 

Da Redação com agências

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


A Polícia Federal informou, na noite passada, que determinou à Superintendência Regional no Distrito Federal a instauração de inquérito para apurar as denúncias de que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) teria coordenado a instalação de grampos ilegais para monitorar o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, e conversas dos ministros Marco Aurélio Mello, também do STF, Dilma Rousseff (Casa Civil) e José Múcio (Relações Institucionais).

As investigações da PF serão acompanhadas pela Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência, do Congresso Nacional, e pelo Ministério Público Federal.

Em nota à imprensa, a PF rebateu o que classificou de "ilações", segundo as quais os policiais federais atuariam em "atividades ilegais de escuta". "Como polícia judiciária, (a PF) utiliza o instituto da interceptação telefônica como meio de investigação, com acompanhamento do Ministério Público e autorização judicial, nos termos da legislação vigente", diz a PF na nota.

O grampo

De acordo com reportagem da revista Veja, a Abin teria gravado conversa telefônica do ministro Gilmar Mendes com o senador Demóstenes Torres. A reportagem traz a transcrição do diálogo e diz que teve acesso aos documentos por meio de um servidor da agência, que pediu anonimato.

O diálogo telefônico de pouco mais de dois minutos entre Mendes e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) teria ocorrido no fim da tarde do último dia 15 de julho. A revista diz que, mesmo sem ter relevância temática, o diálogo prova a ilegalidade da espionagem.

No telefonema, Demóstenes pede ajuda a Gilmar contra a decisão de um juiz de Roraima que teria impedido o depoimento de uma importante testemunha na CPI da Pedofilia, da qual é relator. Mendes agradece a Demóstenes por ter criticado, na tribuna do Senado, o pedido de impeachment do presidente do STF feito por um grupo de promotores descontentes com o habeas-corpus concedido ao banqueiro Daniel Dantas. Na época, a Polícia Federal acabara de concluir a Operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro duas vezes. A assessoria de Mendes confirma a conversa com o senador.

Veja vídeo sobre o assunto aqui https://www.grupoahora.com.br/flv/video/grampo_abin.html.

;

Links
.
.
Vídeo


Últimas Notícias



Prefeitura de São Bernardo promove 1ª Feira de emprego para jovens de 16 a 22 anos


Rússia é banida por doping e está fora de Tóquio 2020 e de Mundiais


Receita abre consulta ao 7º lote de restituição do Imposto de Renda


Bumba Meu Boi pode se tornar patrimônio imaterial da humanidade


Bolsonaro pede revogação de medida que excluiu atividades de MEI


STF aprova compartilhamento total de dados financeiros da Receita Federal com o MP sem autorização judicial