-->


 

Politica - 10/11/2005 - 08:28:29

 

Fontes do Caso Cuba depõem hoje na CPI dos Bingos

 

Da Redação com agências

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


As duas fontes das denúncias do Caso Cuba citadas pela revista Veja depõem hoje na CPI dos Bingos. Rogério Buratti e Vladmir Poleto, que trabalharam com o ministro Antonio Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto (SP), falarão sobre suposto envio de dólares do governo cubano para o Brasil, destinados a pagar despesas da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002.Poleto e Buratti afirmam terem ouvido de outro ex-colaborador de Palocci, já falecido - Ralf Barquete, morto de câncer em 2004 - que, em 2002, Cuba remeteu ao País uma alta soma em dólares para o PT. Garantindo nunca ter visto o dinheiro, Poleto diz ter viajado de avião, no ano das eleições, levando três caixas de papelão desde Brasília até Campinas (SP). As caixas conteriam US$ 1,4 milhão. Buratti confirma a história, citando também Barquete - mas garante que o valor era de US$ 3 milhões. O Caso Cuba não será o única tema a ser abordado pelos dois depoentes. Buratti, que já falou ao Ministério Público e depôs anteriormente no Congresso, deverá discorrer sobre acusações envolvendo diretamente o ministro da Fazenda, referentes ao segundo mandato como prefeito de Ribeirão. Buratti acusou Palocci de operar esquema de fraude e superfaturamento em conjunto com a empreiteira Leão Leão, especificamente em contratos de coleta de lixo na cidade. Segundo Buratti, Palocci recebia cerca de R$ 50 mil por mês e repassava o dinheiro diretamente ao Diretório Nacional do PT. O desvio de verbas se daria por meio de esquema de notas frias e contratação de serviços fictícios. Buratti foi vice-presidente da Leão Leão. Já Poleto, ex-auditor e ex-diretor do Departamento de Contadoria Geral da Secretaria da Fazenda de Ribeirão Preto de 2001 e 2003, está diretamente ligado a outras três denúncias de irregularidades envolvendo a gestão de Palocci na cidade paulista: licitação de molho de tomate, contratação do Instituto Curitiba de Informática (ICI) e pagamento de indenizações de ex-proprietários de linhas telefônicas. No caso do molho de tomate, a polêmica gira em torno da licitação realizada pela prefeitura em 2002, da qual Poleto participou e que solicitava a compra de molho de tomate com ervilhas para cada uma das 41.787 cestas básicas distribuídas mensalmente pelo município. O contrato, com custo de R$ 1,25 milhão, solicitava produto produzido por uma única empresa, sediada no Rio Grande do Sul. No episódio referente às indenizações, Poleto é acusado por funcionários da Secretaria Municipal da Fazenda de duplicidade de contratos, que previam o pagamento de R$ 600 a ex-clientes da Centrais Telefônicas de Ribeirão Preto S.A. (Ceterp). Teriam sido desviados R$ 24 milhões. Poleto também está no centro das denúncias quanto ao contrato de R$ 3 milhões efetuado com o ICI, sem licitação. O órgão foi contratado para efetuar a modernização no sistema de arrecadação tributária, mas o serviço teve de ser totalmente refeito devido a uma série de erros que motivaram distorções na cobrança de IPTU. Outros depoimentos O Terra transmite ao vivo, em vídeo, nesta quinta-feira, 10 de novembro, os depoimentos de Rogério Tolentino, sócio do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, e Fernanda Karina Somaggio, ex-secretária de Valério, no processo do deputado José Mentor (PT-SP) no Conselho de Ética da Câmara. Os internautas poderão acompanhar minuto a minuto, com imagens direto de Brasília. O depoimento está marcado para 10h. ;

Links
.
.
Vídeo


Últimas Notícias



Prefeitura de São Bernardo promove 1ª Feira de emprego para jovens de 16 a 22 anos


Rússia é banida por doping e está fora de Tóquio 2020 e de Mundiais


Receita abre consulta ao 7º lote de restituição do Imposto de Renda


Bumba Meu Boi pode se tornar patrimônio imaterial da humanidade


Bolsonaro pede revogação de medida que excluiu atividades de MEI


STF aprova compartilhamento total de dados financeiros da Receita Federal com o MP sem autorização judicial