CASO ROBINHO --> --> -->
-->


 

Opinião - 22/03/2024 - 00:50:49

 

CASO ROBINHO

 

Vicente Barone * .

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Por uma margem significativa de votos, 9 a 2, o STJ decidiu que Robinho deveria começar a cumprir sua pena de prisão no Brasil.

Por uma margem significativa de votos, 9 a 2, o STJ decidiu que Robinho deveria começar a cumprir sua pena de prisão no Brasil.


O caso de Robinho, ex-jogador de futebol, chama a atenção internacional por ter sido condenado por estupro coletivo. Em 2013, Robinho e outros cinco brasileiros foram acusados ​​de estuprar uma mulher albanesa em uma boate de Milão, na Itália. Após um julgamento longo e polêmico, Robinho foi condenado a nove anos de prisão em 2017. A sentença foi posteriormente mantida por um tribunal de apelação em 2020 e confirmada pelo

Supremo Tribunal italiano em 2022.

Desdobramentos do caso e sentença de Robinho

Desde o início, o caso de Robinho gerou discussões acaloradas no Brasil e no exterior. As alegadas violações colectivas envolvendo um famoso jogador de futebol levantaram questões importantes sobre o tratamento dos crimes sexuais e o estatuto das celebridades no sistema judicial.

A condenação de Robinho em 2017 foi resultado de um processo jurídico complexo e abrangente, incluindo provas, provas forenses e argumentos jurídicos. A decisão do tribunal italiano foi amplamente divulgada pela mídia internacional, fazendo com que o caso fosse acompanhado mais de perto.

Pedidos e decisões adicionais do STJ Brasil

Como a Constituição brasileira proíbe a extradição de cidadãos brasileiros, a Itália pediu ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ) do país que permitisse que Robinho cumprisse pena no Brasil. Após meses de discussão e análise da lei, o STJ do Brasil tomou uma importante decisão em março de 2024.

Por uma margem de votos significativa, 9 a 2, o STJ decidiu que Robinho deveria começar a cumprir pena de prisão no Brasil. Esta decisão é o resultado de um processo judicial cuidadoso, tendo em conta os aspectos jurídicos e o significado internacional do caso.
impacto da comunicação e cooperação jurídica internacional

A decisão do STJ Brasil de permitir que Robinho cumprisse pena em seu país causou muitos danos na mídia do Brasil e da Itália. Jornais italianos proeminentes como “La Gazzetta dello Sport” e “Corriere dello Sport” enfatizaram a importância desta decisão e o seu impacto no caso de Robinho.

O caso de Robinho é um exemplo notável de cooperação judiciária internacional, destacando as complexidades e os desafios que o sistema de justiça enfrenta ao lidar com crimes internacionais. A cooperação entre o Brasil e a Itália, neste caso, demonstra a importância da cooperação internacional na busca pela justiça e pela aplicação da lei.

Considerações finais e próximos passos

À medida que o caso de Robinho continua a evoluir, é importante observar que a decisão do STJ Brasil não marca o fim dos processos judiciais. A defesa de Robinho ainda tem direito de recorrer ao próprio STJ e ao Supremo Tribunal de Justiça (STF), buscando alternativas legais para sua situação.

Enquanto isso, a comunidade brasileira e internacional continua acompanhando de perto a evolução deste caso, que levanta questões importantes sobre justiça, responsabilidade e o papel das celebridades na sociedade atual.

* Vicente Barone é analista político, editor chefe do Grupo @HORA de Comunicação, esteve à frente de diversas campanhas eleitorais como consultor político e de marketing, foi executivo de marketing em empresas nacionais e multinacionais, palestrante nacional e internacional para temas de marketing social, cultural, esportivo e de trasnporte coletivo, além de ministrar aulas como professor na área para 3º e 4º graus - www.barone.adm.br

;

Links
Vídeo


Últimas Notícias



De 71 países, apenas 2 e União Europeia não criminalizam desinformação


Arrecadação federal bate recorde em março


Camex estabelece cota de importação para 11 produtos de aço


Dólar cai para R$ 5,13 com redução do pessimismo externo


Governo facilita crédito e renegocia dívidas de pequenos negócios


Não houve invasão externa em sistema do Tesouro, diz Haddad