-->


 

Internacional - 08/01/2019 - 09:33:37

 

Peru proíbe entrada no país de Maduro e integrantes do governo

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Nicolás Maduro

Nicolás Maduro


O ministro das Relações Exteriores do Peru, Nestor Popolizio, anunciou que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, integrantes do governo e suas famílias estarão proibidos de entrar em território peruano.

A decisão ocorre às vésperas de Maduro assumir o terceiro mandato presidencial, cuja reeleição não é reconhecida pelo Peru e mais 14 países da região, inclusive o Brasil.

A medida, segundo o chanceler, faz parte dos acordos adotados pelos países membros do Grupo Lima, do qual participa o Brasil, como forma de exercer pressão internacional para condenar a crise democrática e humanitária na Venezuela.

"O [governo do] Peru vai enviar uma comunicação para o superintendente de imigração com uma lista de todos os nomes ligados ao regime Maduro, incluindo membros da família, informando que não podem entrar no país", disse Nestor Popolizio.

O chanceler lembrou que, no caso da Venezuela, não é necessário um visto para entrar no território peruano, mas o governo peruano tem a prerrogativa de impor restrições de natureza migratória.

"O que queremos é exercer pressão direta sobre o regime de Maduro, sobre o governo principal para permitir que eles voltem à democracia", disse o ministro.

Acrescentou esse tipo de medida gera o isolamento do governo de Maduro, "cujas decisões antidemocráticas causaram uma crise interna naquele país".

Popolizio observou que o Grupo Lima não reconhece o novo mandato presidencial de Maduro, que começará em 10 de janeiro, e confirmou que o Peru não comparecerá à cerimônia de posse.

;

Links
Vídeo


Últimas Notícias



Recadastramento de telefones pré-pagos termina hoje,18, para 17 estados


Medida Provisória acaba com o DPVAT


Senado aprova PEC que adia quitação de precatórios


Morre o Presidente da Câmara de São Bernardo do Campo, Ramos Ramos, em acidente de carro


TJ-SP devolve mandato a prefeito de Mauá, cassado por deixar cargo vago ao ser preso


Governo federal lança carteira estudantil digital