-->


 

Nacional - 01/06/2018 - 09:53:59

 

Caminhoneiros encerram paralisação que ainda existia no Porto de Santos

 

Da Redação com agências

Foto(s): Reprodução

 

Militares acompanham entrada e saída no Porto de Santos

Militares acompanham entrada e saída no Porto de Santos


Na madruga desta sexta-feira, dia 1º de junho, em encontro entre representantes de associações e o governador de São Paulo, Márcio França, cerca de 1.600 caminhoneiros autônomos que permaneciam no Porto de Santos votaram por encerrar a greve.

O governador afirmou após o encontro que, com a volta ao trabalho no maior e mais importante do Brasil, “o país retorna à normalidade”.

Nos dez dias em que o Porto de Santos ficou bloqueado pelos caminhoneiros cera de 250 mil toneladas de carga ficaram sem movimentação. O sindicato das agências marítimas estima prejuízo de R$ 370 milhões.

O pedágio do eixo suspenso não está sendo mais cobrado desde ontem, dia 31, nas rodovias paulistas, o que era uma das reivindicações dos caminhoneiros. Dentre as promessas feitas pelo governador estão estudar formas para permitir o parcelamento do IPVA dos caminhões em até 6 parcelas e a possibilidade de se criar 6 pontos de parada nas rodovias do estado.

As perdas para as concessionárias serão repostas com o aumento do prazo da validade dos contratos de concessão, e não em repasses do caixa do tesouro paulista.

Polícia Militar e tropas do Exército e da Marinha permanecem no Porto para garantir a segurança e evitar novas paralisações.

 



;

Links
https://diariodotransporte.com.br/author/blogpontodeonibus/
Vídeo


Últimas Notícias



Sete em cada 10 brasileiros acreditam que mudanças climáticas são um problema tão sério quanto a Covid-19, mostra Ipsos


Íntegra do depoimento de Sérgio Moro na Polícia Federal


Com Cartão Merenda Escolar, São Bernardo vai oferecer auxílio-alimentação a 82 mil alunos


Autônomo pode baixar aplicativo a partir de hoje para renda de R$ 600


Código-fonte de verificador de assinaturas digitais está disponível para download diretamente no site do ITI


Especialista do mercado financeiro explica porque o coronavírus derrubou as bolsas de valores no Brasil